Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Uma carrinha pão de forma

por Cristina Nobre Soares, em 27.05.18

Uma carrinha, daquelas pão de forma, parou à saída do parque de estacionamento para nos deixar passar. Reparei que tinha cortinas vermelhas nas janelas de trás. Houve uma altura na minha vida em que quis ter uma carrinha destas para poder correr o mundo. Tinha de ser numa destas, pois um carro ou uma auto-caravana parecia-me muito burguês. Tenho ideia que todos nós já quisemos o mesmo: afinal, correr mundo sem destino e o riso são das poucas coisas que nos dão a ilusão de contrariar a inevitável rotação da mortalidade. Fiquei a ver a carrinha afastar-se, o vermelho das cortinas agitou-se por uma janela aberta e lá ao fundo anunciava-se chuva. Se pensarmos bem, anuncia-se sempre, mesmo num entretanto de céu limpo, que é mais ou menos o tempo que deve demorar a correr o mundo numa carrinha de cortinas vermelhas. Não sei. Não conheço ninguém que tenha regressado de uma viagem dessas.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html