Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em linha recta

Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

Em linha recta

Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

Dia mundial da saúde mental

Cristina Nobre Soares, 10.10.18

Hoje, diz que é o dia mundial da saúde mental. Há dias mundiais para tudo, é verdade, mas este até vem a jeito.
Falar de saúde mental ainda é um acto de coragem, daquela que rompe preconceitos. Afinal, quando não é vergonha, a doença mental é sinal de fraqueza. Por exemplo, toda a gente sabe que a depressão só chega a quem tem tempo e desocupação suficiente para isso. A quem não tem força de vontade para se levantar da cama, para se “animar”, para ganhar genica e fazer-se à vida. É coisa de gente fraca que “se deixa vencer pela vida”. É para quem pode, porque os pobres não se podem dar ao luxo de ser deprimidos. 
A doença mental ainda é um estigma. Uma vergonha.
Mas não devia ser.
A doença mental é apenas o que o nome diz: uma doença. Não se pega. Mas  pode matar: de solidão.