Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em linha recta

Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

Em linha recta

Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

#Prima Odete - Clássicos da literatura

Cristina Nobre Soares, 08.10.20





 












A prima Maria Isabel tinha a mania de atirar para o ar comentários que ninguém percebia. Como aquele que ela dizia sempre em reuniões de família e também nas reuniões do Partido:

 



- Desculpem lá, mas não tenho inteligência que chegue para conseguir ver a lã de que é feito o tecido das vossas lindas fatiotas.

 



Nunca ninguém percebeu onde é que ela queria chegar com isto, mas também, no que diz respeito à sua família mais directa, ninguém era muito amigo de ler, muito menos clássicos da literatura infantil. Na casa da tia Maria Adelina e do tio Macedo realmente não abundavam os livros. Tirando “A Enciclopédia da Saúde” e uma colecção de "clássicos", encadernados a vermelho, com letras douradas na lombada, que o Tio Macedo comprara nas Selecções do Reader’s Digest, mas só para ver ser lhe saía um automóvel, (mais tarde diria que aquilo era tudo uma grande aldrabice, pois, apesar da quantidade de envelopes dourados a felicitá-lo por ser finalista que ia recebendo na caixa do correio, não havia maneira das Selecções sortearem o bendito automóvel). Tirando esses livros, que compunham muito bem a estante de castanho, madeira boa, um peso monstro que era preciso a família toda para conseguir arredá-la nas limpezas, não havia mais grande coisa que se lesse, tirando a TV Guia e a Nova Gente compradas todas as semanas pela prima Odete, no quiosque ao pé da paragem do autocarro.

 



Já a prima Maria Isabel, a dada altura, à conta daquelas amizades muito cultas do Partido, que isto uma pessoa nunca gosta de ficar para trás, começou a ler à séria, e obras da literatura universal, daquelas que dão sustância a qualquer conversa, com frases como aquela outra que a prima Maria Isabel também costumava atalhar, com um rebolar de olhos muito pedante, sempre que havia zaragatas na família:

 



- Já se sabe, todas as famílias infelizes são-no à sua maneira.

 



De maneiras que nunca realmente ninguém percebeu aquela conversa da lã que a prima Maria Isabel não via. Só muito anos mais tarde quando, num almoço de Natal, já o tio Macedo tinha morrido há anos, a prima Maria Isabel mandou essa a meio do almoço e a Ana Marta desatou-se a rir e disse-lhe.

 



- Ai tia, ainda bem que não tens Facebook!