Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Pensamento sem qualquer rasgo literário

por Cristina Nobre Soares, em 27.04.15

Hoje  perguntaram-me como é que eu me cobrava nisto da escrita. Respondi que me cobrava à hora. Pelo mesmo valor e forma com que me cobrava no tempo em que era engenheira.  Mas não seria melhor cobrares-te por palavra? Disse que não.  Que valor terão aquelas palavras que apago e que  por serem apagadas tornarão o texto melhor? Que valor terá esse desapego?  E penso que isto de tentar viver da escrita é uma maçada. Tão grande, que é melhor ir ali escrever qualquer coisinha com menos de cem palavras para espairecer. Manias.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De xilre a 27.04.2015 às 12:48

Lá está: 1 rublo pela martelada no prego, 999 rublos por todo o trabalho que precede o apontar o prego.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html