Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Não nos ensinam a falar ao pé da morte

por Cristina Nobre Soares, em 18.10.16

Não nos ensinam a falar ao pé da morte. Ao pé dela nunca sabemos o que dizer. Ficamos ali, agarrados aos chavões, os meus sentimentos, os meus pêsames, porque não nos sai mais nada. Nadinha. A boca abre-se e nada. Nada. Os meus pêsames e nós ali, de corpo presente, com tanta coisa para dizer, todas aquelas que devíamos ter dito antes e não dissemos, já se sabe, é sempre a mesma merda, mas a vida é tramada, o tempo não chega, amanhã ligo. Ou para semana. Ou para mês que vem, ou o raio que o parta. E ficamos ali, a olhar para a biqueira dos sapatos, para as coroas de flores, para os velhos que não percebem porque é que há gente nova que vai à frente, e nada. Não sai nada de jeito. Nada. E a morte ali, a olhar para nós, escarninha, como quem diz: querias falar? Falasses antes.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Rosa a 22.10.2016 às 23:40

Tão, tão poderoso. Tão verdade.

Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html