Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Goodbye my love, goodbye.

por Cristina Nobre Soares, em 28.01.15

 Ia quase todas as sextas feiras à tarde para casa dela. Um quinto frente com vista para uma praceta, onde brincávamos como os outros miúdos aos polícias e ladrões e ao mata, nos dias em que fazia sol. Nos outros, ficávamos em casa dela a brincar com as Tuchas. A mãe dela usava por casa uns calções curtos, que talvez já lhe tivessem servido melhor. Lembro-me dela sentada num cadeirão da sala, a pintar as unhas dos pés de vermelho vivo. Pincel do verniz numa mão, cigarro na outra e o single do Demis Roussos num gira-discos portátil, em cima de uma colecção imensa de Holas compradas em Badajoz. Levantou a cabeça, olhou para nós e perguntou: Querem lanchar, não é? Esmagou a beata no cinzeiro e entalou um algodão no mindinho do pé. Deixem lá acabar a música, que eu já vos faço o pão com Tulicreme.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html