Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Gaiola de Faraday

por Cristina Nobre Soares, em 18.12.17

Gosto de ir em silêncio quando ando de carro. Mas um silêncio só meu, que não implica ausência de palavras. Por causa desse silêncio, foi num carro em movimento que tive as melhores ideias, conversas, confissões, revelações, sonhos. Momentos suspensos numa viagem que só acontecia lá fora. Uma vez explicaram-me que os carros funcionam como gaiolas da Faraday. E que por isso estamos protegidos das trovoadas num carro em movimento. Se calhar é por isso que tal me acontece. Pois quem diz de trovoadas, diz da vida no geral.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De David Marinho a 19.12.2017 às 04:42

Como as casas de banho, onde lemos, jogamos, pensamos e fugimos do trabalho muitas vezes.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html