Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Dia de reflexão

por Cristina Nobre Soares, em 29.09.17

Um dia, alguém ainda me irá explicar porque raio é que amanhã a minha opção de voto pode influenciar alguém e hoje até à meia-noite, não.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De ♥ Sara a 30.09.2017 às 09:58

Uma boa pergunta onde também procuro a resposta!!!

Acho que não vai influenciar em nada, mas... o que podemos nós fazer!?
Imagem de perfil

De ♥ Sara a 30.09.2017 às 09:59

Ah! Já agora, parabéns pela tua entrevista com a Sapo!
Sem imagem de perfil

De Jorge a 01.10.2017 às 02:36

Eu gosto da pausa na campanha. A pré-campanha já vai longa quando se inicia o período oficial de campanha de 2 semanas. Uma pausa sabe bem. Sem multidões na rua, sem tambores, sem bandeiras, sem megafones, sem propaganda. É o meu dia preferido das eleições, logo a seguir ao próprio dia em que tenho o direito de mudar alguma coisa.

Há duas hipóteses de fazer isto: de um modo light, ou de um modo restritivo. O light seria proibir só a campanha, mas manter a possibilidade de falar dela. O restritivo proíbe ambos, e é o escolhido pela CNE.

E eu concordo. É que se fosse o modo light, as máquinas dos partidos do sistema (acima de tudo o laranja, mas também algum rosa) que todos sabemos que capturaram os Órgãos de Comunicação Social, fariam todos os truques e malabarismos para dar continuidade à propaganda na véspera das eleições, com relatórios que afinal não existem, com novas notícias de suspeitas infundadas sobre candidatos, com espaços de opinião sem contraditório onde alguns têm a pouca vergonha de continuar a participar mesmo sendo candidatos, etc.

A sua opção de voto não influencia ninguém, mas há quem tenha a capacidade de influenciar. E esta pausa é muito bem vinda por evitar isso mesmo em cima do acto eleitoral. Prefiro eleitores com um mínimo de reflexão (neste caso 24 horas), e não decisões em cima do joelho, embora mesmo assim muita gente continue a só fazer a escolha final quando se confronta com o boletim de voto.

Há sempre um distanciamento saudável quando a última ação de campanha que se ouviu ou sobre a qual se leu, já leva mais de 1 dia de distância, e não apenas escassos minutos. Da mesma forma como muitos artistas não fazem obras de seguida, antes pintam algo, tapam, e semanas ou meses depois, com distanciamento, ao destapar, têm um olhar diferente que justifica diferentes decisões. Não é boa, mas é a comparação que arranjei para lhe dar a entender o meu ponto de vista.

Já agora, parabéns pelo blog, que fiquei a conhecer graças ao destaque que o SAPO deu a este post.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html