Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Cheiro a pão e bolos

por Cristina Nobre Soares, em 02.08.17

Houve um Verão em que fomos de férias com primos. Eu, do alto dos meus catorze anos, cheios de inseguranças e certezas, era a mais velha dos mais novos. Desse Verão lembro-me das tardes na praia, esticadas ao limite, quase, quase a anoitecer, só mais um bocadinho, vá lá, dos baldes cheios de conquilhas, das filas para tudo, do ir comer camarão e caramelos a Espanha, das noites quentes a arderem no escaldão dos ombros, do cheiro a óleo de coco e a creme Nívea, da vez em que tentamos indrominar os pais e nos escondemos para ficarmos a pé até tarde, não conseguimos, das conversas parvas pela noite dentro, com a música dos arraiais em pano de fundo, e do cheiro a pão e bolos assim que abríamos a janela de manhã. A casa ficava ao lado de uma padaria. Hoje, enquanto bebia café cheirou-me a pão e bolos e deu-me ideia que um dos meus primos me arreliava, ali, por cima do ombro. O tempo tem esta mania de, a despropósito, nos parecer logo ali ao lado.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

GA



google-site-verification: googledeb34756365df053.html